6 de abr de 2010

VIVA NO TEATRO

Espetáculo “Filhos não vêm com manual”
em prol da Associação Viva e Deixe Viver


Nos dias 8, 15, 22 e 29 de abril, os apreciadores de teatro terão uma oportunidade de contribuir com a Associação Viva e Deixe Viver. Nestas datas, as sessões de “Filhos não vêm com manual” serão realizadas em prol da entidade. O espetáculo faz parte do selo “Viva no Teatro”, criado em 2009 com o propósito de incentivar peças teatrais de destaque. “O importante é vincular o prazer de assistir a um espetáculo, que traz em seu conteúdo reflexões sobre o ser humano ao valor da doação e à oportunidade de colaborar”, diz Valdir Cimino, presidente-fundador da entidade.

Apresentação solo da atriz Mayara Castro que também faz sua estréia como dramaturga.

As apresentações contam com o apoio das empresas: Laboratório Buenos Ayres e Ducha. Toda a renda obtida pela venda dos ingressos será revertida para a Associação Viva e Deixe Viver, formada por voluntários contadores de história para crianças e adolescentes hospitalizados.


SERVIÇO
Direção: Suzana Lakatos
Projeçõesmultimídia: Ana Luisa Anker e Samantha Audi
Supervisão de texto: Isabel Christina Gonçalves


Datas: 8, 15, 22 e 29 de abril - 5as-feiras
Horário: 19h (pedimos a gentileza de chegar 15 minutos antes)
Local: Teatro Buenos Ayres
Endereço: Rua Sergipe, 120 – Consolação – São Paulo
Ingressos e reservas: (11) 3829-8109 com Abigail ou Adriana
Preço do ingresso: R$25,00
Duração: 80 minutos
Capacidade: 100 lugares
Classificação: 10 anos


Sôbre a ASSOCIAÇÃO VIVA E DEIXE VIVER - (http://www.vivaedeixeviver.org.br/)
Fundada em 1997, pelo paulistano Valdir Cimino, é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público – OSCIP. Conta com o apoio de voluntários que se dedicam a contar histórias para crianças e adolescentes hospitalizados, visando transformar a internação hospitalar mais alegre, agradável e terapêutica, além de contribuir para a humanização da saúde, causa da entidade. Hoje, a associação conta com mais de 1.000 contadores de histórias voluntários, que visitam regularmente mais de 70 hospitais em todo o País.

Nenhum comentário: