3 de mai de 2009


Pintura de Remédios Varo

SOBRE A MONTAGEM DE

“FILHOS NÃO VEM COM MANUAL”

A montagem deste espetáculo, assim como o texto da peça, nasceu de uma necessidade minha, interior, de desenrolar os meus panos.

E queria que esse desenrolar se desse de uma forma bonita, lúdica, leve. E o texto foi brotando e eu fui deixando acontecer.

Daí pra montagem foi um pulo.
Há muitos anos afastada do cenário artístico-cultural, entendi que só assim eu poderia compartilhar esse “fazer” ,esse “ter” e esse “ser” com as pessoas.

Este não é um trabalho autobiográfico. Não é uma catarse, apesar de conter elementos da minha vida, mas não pretende ser uma reprodução dela.

Como na foto, a personagem abre a caixa repleta de fotos e bilhetes onde estão suas memórias e assim como um novelo, ela vai desenrolando os mesmos panos que a mantém atada.
O que já se vislumbra? Os olhos que conseguem enxergar, os joelhos que apontam a direção e os pés livres para caminhar.

As situações criadas por mim acerca das angústias e alegrias de uma mãe, servem a qualquer mãe do mundo.

Duvido que uma mãe francesa, mexicana ou japonesa não tenha tido dificuldade de ir ao banheiro, porque toda vez que entrava, seu filho batia na porta com os mais variados argumentos.

Duvido que uma mãe portorriquenha, alemã ou belga já não teve preocupação com o filho se ele começa a gostar de bebida além da conta.

Duvido que uma mãe desconfiada já não tenha revistado o quarto do filho para saber se ele está usando drogas.

Enfim, os problemas nessa área são comuns a todas as mães do planeta, e se não são exatamente estes, são muito semelhantes.

Outra coisa: não se trata de um monólogo. Apesar de sozinha no palco, eu coloco os outros personagens em cena, através da voz, ou de alguma manifestação dos mesmos.

Somos muitos: pai, mãe, filho, filha, empregada, amigos dos filhos, namorado da filha, namorado da mãe, mãe da mãe, um monte de gente que representa este universo familiar.

Estou muito feliz em poder compartilhar o resultado deste trabalho com vocês e dizer que, por não achar legal só eu colocar minhas dúvidas e questões acerca desse difícil papel de mãe, eu criei o “0800”, um canal de comunicação que possibilita uma interação palco – platéia.

Seja bem-vindo (a) e vamos dialogar a respeito da mais nobre e bela carreira: ser mãe!

Venha assistir ‘FILHOS NÃO VEM COM MANUAL”
Espero por você!

E se preferir, levamos o espetáculo para sua escola ou sua empresa.
Para se informar, ligue para a Milene que ela vai te passar datas e horários: cel. 8225-7368 – e-mail: lenegonrp@gmail.com


Mayara de Castro

Nenhum comentário: